Radar

Focos de incêndios aumentam na Caatinga e bioma já supera outros no número de queimadas em 2021

Publicado em: 10/08/2021

Aumento das queimadas na Caatinga

Foto: Associação Caatinga

Os focos de queimadas na Caatinga cresceram 164% em 2021, na comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O número já é o maior dos últimos nove anos, fazendo deste o bioma brasileiro que teve mais queimadas em 2021. O Inpe aponta que foram 2.130 focos de incêndio, concentrados na região oeste do bioma.

É importante destacar que a Caatinga é o quarto maior bioma do país, ocupando uma região equivalente a 11% do território nacional, e o único bioma exclusivamente brasileiro.

De acordo com o Instituto, fatores como a expansão da agricultura e a antecipação do período de seca teriam colaborado para a intensificação das queimadas. Mas o desmatamento crônico, a ocupação desordenada e práticas de exploração não sustentáveis também foram apontadas por pesquisadores de outros órgãos como responsáveis pelo aumento do número de focos de incêndios.

Em maio deste ano, cientistas e entidades socioambientais já haviam alertado sobre os desmatamentos e queimadas, denunciando o problema para a Comissão Externa da Câmara dos Deputados sobre Queimadas nos Biomas Brasileiros, a mesma que foi criada e acionada no ano passado, quando o número de queimadas no Pantanal bateu recordes históricos.

Confira os principais veículos que divulgaram a notícia sobre o aumento das queimadas! 

Por que a Caatinga vive explosão em número de queimadas

Caatinga tem aumento no número de queimadas

Por que a Caatinga vive explosão em número de queimadas

ONU lança campanha pela ação climática e Caatinga é bioma que mais sofre com queimadas no Brasil

Fique por dentro