Radar

Mês da Consciência Negra e a representatividade nas empresas

Publicado em: 19/11/2020

A falta de representatividade e proporcionalidade nas empresas é um dos problemas que mais aflige a população negra, e levanta questões sobre a diversidade no mercado de trabalho do Brasil.

Com a chegada de novembro, eleito com o o “Mês da Consciência Negra”, o tema ganha mais destaque nas mídias e ressalta a necessidade de mobilização contra o racismo e o reforço da consciência sobre as questões étnico-raciais, que são tão gritantes no país.

A mobilização é importante para reforçar a necessidade de políticas públicas, ou políticas de ações afirmativas, voltadas para garantir representatividade e proporcionalidade, assim como a valorização e respeito às manifestações culturais e religiosas.

Mulher negra símbolo de representatividade

Foto: Deposit

O Brasil foi o último país ocidental a acabar com a escravidão, em 1888. E mais de um século depois da abolição, as consequências da libertação tardia e da falta de reinserção social, bem como da própria escravidão, afetam negros e negras, que compõem a maior parte da população brasileira.

Ainda há muito a ser feito no combate ao racismo, no respeito à dignidade e às diferenças étnico-raciais. E uma das ações mais importantes está relacionada a medidas mais assertivas de inclusão de negros e negras no mercado de trabalho.

Destacamos algumas reportagens que debatem o tema e propõem formas de se garantir um mercado de trabalho com mais representatividade e equidade. Confira!

Diversity washing: raízes da falta de representatividade nas empresas

Representatividade no mercado: como podemos, juntos, dar voz e poder aos profissionais negros

O que o Brasil precisa aprender sobre inclusão de pessoas negras no mercado

Entenda a importância da diversidade nas empresas

Fique por dentro